sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Um longo dia


Despertar, se arrumar e cuidar para mais uma dia. Não existe uma regra apenas uma hábito de fazer a mesma coisa sem se dá conta que é o mesmo do mesmo. Anda, corre para pegar o ônibus, tirar o carro da garagem ou o trem, é apenas o comportamento de todo dia e sua vida repete tudo que foi feito no outro dia sendo que segue a sequencia da sua história. Cochila no ônibus ou no trem e presta atenção no congestionamento, até que se observar a vida alheia de forma de nos tornamos julgadores do comportamento do próximo sem nos tocar que transito andou, o ponto chegou e já esta na hora se saltar do trem. A buzina do carro de trás alerta que deve seguir em diante para mais uma dia normal desconhecido, tudo é previsível e ao mesmo tempo incerto. Pessoas aos montes vivem seu dia de acordo com a programação feita por elas mesmas  sem se dar conta, propositalmente criam as regras pessoais baseadas no conhecimento predeterminados por um monte de coisas que temos contato durante nosso tempo na Terra.
Pensar que somos especiais, que nos realizemos como pessoa faz do dia, um momento de tensão e esperança. Cria a condição essencial para que continuamos a pegar o ônibus, o trem e o carro em busca do algo mais, e mais... até o dia seguir sua sequência e nos mostrar o nosso papel em cada compromisso que assumimos cumprir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário